A desmoralização da economia

breadline

Não há externalidade negativa mais indesejável do que a miséria.

A miséria é um dos efeitos colaterais das intervenções governamentais que tentam combater a desigualdade sócio-econômica, como se ela fosse uma externalidade negativa do livre mercado.

Nada produz mais externalidades negativas do que a falta de liberdade e o desrespeito à propriedade privada.

Falhas de mercado só existem na cabeça de quem acha que a realidade deve obedecer seu desejo tirânico de moldá-la às suas aspirações.

Os inconvenientes que acabamos enfrentando por conta da ação humana na busca da melhoria de vida, não são falhas de mercado, são imposições da realidade, que reage de forma inesperada às nossas mais bem intencionadas intervenções.

Assim como o mercado produz inconveniências para uns, cria conveniências para outros. Da mesma forma, o uso da coerção gera inconveniências para uns e conveniências para outros.

A diferença está que onde há liberdade, as inconveniências são superadas de forma mais rápida e mais justa do que quando há o uso da coerção por aqueles que veem, naquilo que lhes é inconveniente, uma falha do mercado.

É muita arrogância, achar que a realidade é imperfeita porque teima em desobedecer os caprichos de alguém.

Economistas tangenciando a ética para discutir a bondade de impostos ou a necessidade de regulações que pretendem reduzir externalidades negativas é patético.

Externalidades negativas são efeitos colaterais indesejáveis decorrentes de ações que visam produzir bens.

Querem um exemplo?

Impostos cheios de bondade são externalidades negativas quando se dá poder político para economistas desprovidos de senso ético.

Querem outro exemplo?

Economistas que defendem impostos são externalidades negativas quando se cria uma profissão para estudar o funcionamento do mercado e a ação humana na busca da sua melhoria de vida.

Política econômica sem ética é má filosofia.

Será que o direito de propriedade e a justiça não servem para conter externalidades negativas abusivas que violam o direito de propriedade ou até mesmo o direito à vida, integra e saudável, que todo indivíduo possui?

Por que taxar ou regular de antemão, se ao governo só deveria ser permitido retaliar em nome de alguém que tivesse seu direito violado?

O clamor e o apego pela intervenção violenta do estado, não deixa de ser também uma externalidade negativa de anos e anos de uma educação pública, gratuita e sem qualidade, em nome de difundir conhecimento, mas que não passa de doutrinação coletivista.

Externalidades negativas não é assunto para economistas, nem políticos. É um tema que deve ser discutido em concreto entre advogados em uma corte de justiça.

Facebook Comments
Anúncios

2 comentários

  1. “Por que taxar ou regular de antemão, se ao governo só deveria ser permitido retaliar em nome de alguém que tivesse seu direito violado?” Frase perfeita…

Comentários...