Escola sem Governo

montessori-childrens-center-3Quando uma criança frequenta uma escola pública, ou até mesmo privada, aqui no Brasil, ela está subordinada obrigatoriamente à política educacional estabelecida pelo governo.

É o governo, leia-se o partido que está no poder, que determina o currículo, a literatura, o teor das provas, a pedagogia e a matéria a ser utilizada em salas de aula.

Enfim, educação deixa de ser um projeto individual para que se possa fazer as descobertas necessárias para prosperar na vida, espiritual, intelectual e materialmente, para se tornar mais um instrumento de política pública que visa angariar votos, dinheiro dos pagadores de impostos e doutrinação descarada.

O projeto Escola sem Partido pode indicar o que seria um objetivo a ser atingido, universalidade, irrestrita abordagem crítica e racional dos fatos históricos e das filosofias que os moldaram.

No entanto, só há um projeto efetivamente capaz de acabar com a lavagem cerebral disfarçada de educação e a submissão de quem não pode escolher, o Escola sem Governo.

Educar e aprender não pode depender do governo, uma instituição cuja natureza é a coerção.

Escolher se nossos filhos estudarão em casa, em escolas católicas ou israelitas, protestantes ou liberais, marxistas ou positivistas, construtivistas ou montessorianas, é prerrogativa do indivíduo ou dos indivíduos que detém a guarda das crianças ou, no ensino superior, do próprio estudante.

Escola sem Governo pode ser mais fácil de implementar e de se obter os resultados desejados do que o Escola sem Partido.

Escola sem Governo é escola sem sindicatos perniciosos, sem invasões, sem déficits orçamentários, sem greves, sem coerção, sem resultados vexatórios, sem merenda vencida por causa da corrupção.

Escola sem Governo é a busca por uma sociedade livre, centrada no indivíduo, no conhecimento e na razão e não naquilo que o governo representa: coletivização, padronização, obediência e coerção.

Quando alguém perguntar, mas nesse sistema de Escola sem Governo o que faremos com os pobres?

Eu responderia com outra pergunta: mas o que se está fazendo com os pobres neste sistema falacioso que propagandeia educação pública, gratuita e de qualidade?

Eu mesmo respondo, isso que aí está, vem tornando-os mais miseráveis, sem oportunidades, sem um futuro próspero e digno, sem a possibilidade de estabelecer propósitos mais audaciosos para florescerem em busca de uma vida melhor.

Uma mente independente, criativa e laboriosa não se constrói com pregação, com obediência cega, nem com doutrinação.

Se podemos ter escolas com professores e material escolar, por que precisamos pagar por escolas, professores, material escolar e o governo?

Facebook Comments
Anúncios

Comentários...